Missas Negras – Como funciona a Missa Negra? 

Os trabalhos de magia negra realizados através de uma missa negra são poderosos e podem ser feitos para vários fins: 

– amarrar pessoas, afastar pessoas, fazer alguém desaparecer, conceder sorte e fortuna, amaldiçoar a vida de alguém, etc. 

Como são realizados tais fins? 

Através de «bençãos» ou «maldições». 

Está escrito nos textos sagrados: 

«Vede! Hoje ponho diante de vós a benção e a maldição» 

Deuteronómio 11,26 

Assim foi revelado que Deus colocou diante do homem as bênçãos e as maldições.·

Assim como o espírito de Deus o fez, também os outros poderosos espíritos colocam na vida das pessoas «bênçãos» que abrem portas, ou «maldições» que obrigam a certos caminhos. 

As pessoas que são «alvo» do trabalho ficarão escravizadas pelas forças espirituais invocadas e serão vitimas de poderosas «bênçãos» ou «maldições», que as levarão a cumprir com o destino que lhes foi ditado . 

As missas negras, invocam poderosas forças espirituais, que abençoam ou amaldiçoam alguém, com a finalidade que lhes foi encomendada. 

Sobre demónios ou espíritos terrenais, Giordano Bruno escreveu que: 

«Pode-se através do canto, da oração, da contemplação, expulsar os demónios da alma – ou através de praticas inversas, convoca-los»

Pois Giordano Bruno expõem que os espíritos terrenais podem ser convocados por processos inversos aos que são usados para os afastar. Se para os afastar se usa a meditação, a abstinência, a contemplação, a abnegação, logo para os invocar usam-se o prazer, o desejo, o êxtase. 

Sobre a essência dos rituais de invocação desses demónios ou espíritos terrenais, assim tambem Giordano Bruno também escreveu:

« os demónios experimentam os afectos e desejos, idênticos aos que sentem os homens.

Foram eles que inventaram os sacrifícios carnais cuja a pompa e lisonja, segundo pretendem, lhes dá um prazer extremo» 

Sacrifício carnal tanto se pode traduzir em sangue de animais, como em actos nos quais se oferece a carne a praticas contrárias ás da santidade. 

Tais praticas apenas resultam se exercidas por quem possua poder espiritual para o fazer,

pois apenas com esses, escolheram os espíritos terrenais entrar em contacto directo.

E esses, são sacerdotes dos espíritos, a quem vulgarmente se chamam os bruxos e as bruxas. 

Assim está escrito: 

Trarás o sacerdote como santo, porque ele é o encarregado de oferecer o alimento ao teu Deus 

Levítico  21,8 

Isso significa que sacerdote é aquele designado pelo espírito para facultar-lhe alimento. 

Se os sacerdotes do espírito chamado Javé no Cristianismo são os padres, ( porque esses foram os escolhidos por Deus para lhe prestar alimento), também sacerdotes são aqueles que foram escolhidos pelos espíritos terrenais para lhes prestar alimento, e a esses chamamos bruxas e bruxos. 

Apenas esses, podem prestar alimento aos espíritos,e a esses os espíritos escolheram para lhes trazer as essências que lhe agradam. 

Aqueles a quem chamamos demónios são na verdade espíritos terrenais, espíritos que não se elevaram á condição celestial, e são por isso , espíritos ligados ao nosso mundo terreno. São assim espíritos que por um lado são influenciados pela existência terrena, ao passo que igualmente influenciam essa mesma existência terrena de forma a nela causar o próprio néctar do seu prazer e fundamento da sua existência. 

As missas negras, são uma forma de comunicação com esses espíritos terrenais, (assim como com espiritos dos mortos e entidades espirtuais elevadas, conhecidas por «anjos» ou «deuses), e são consequentemente um poderoso instrumento de alimento dos espíritos, que em troca, ao serem apropriadamente convidados pelos sacerdotes, fazem cumprir neste mundo os actos que lhes foram encomendados. 

A missa negra é celebrada por um Bruxo e suas bruxas ou sacerdotisas. O cerimonial é executado no corpo nu de uma das sacerdotisas. No ritual são realizadas ancestrais invocações 

Tanto o sacerdote com as sacerdotisas tem que ser pessoas com uma forte ligação ao mundo espiritual, caso contrário, como resultado da missa , sucederão desoladoras tragedias aos praticantes que executaram o ritual, ou entao ás pessoas que lhes são próximas, pois ousaram invocar forças sinistras e demoníacas sem ter meios para as controlar e receber. Por isso, apenas quando realizada por sacerdotes preparados para lidar com esse poder das trevas, pode uma missa negra resultar de verdade. 

O QUE É UMA  MISSA NEGRA ? 

 A «Missa Negra» é um processo religioso que usa métodos espirituais opostos aos empregues nas «missas brancas». 

A sua história remonta aos inícios da mais oculta sabedoria mística, e as suas praticas já foram celebradas em templos religiosos na antiguidade. 

Na Doutrina Espírita, a magia negra é denominada enquanto a realização de “Pactos”.

 

Os pactos são trabalhos espirituais feitos sob encomenda por pessoas que invocam o auxílio de espíritos, ( espiritos de mortos, espiritos terrenais, etc….), para produzir determinados efeitos, sendo que esses objectivos são indicados pelos seus clientes que pagam por tais serviços.

 

Que muitos espíritos existem, assim se atesta quando Deus é chamado «Deus dos espíritos», (Números 16,22), ou «Senhor dos espiritos»(II Mc 3,24)

 

Aos espíritos celestiais mais poderosos, os textos sagrados por vezes chamam «exercito dos céus»,(II Reis 2,1-6), e que esses poderosos espíritos podem permitir a pratica de magia, assim esta escrito no segundo Livro de Reis, pois através deles Manassés assim o fez.

 

Pois a Missa Negra é um ritual cerimonial de Magia negra, onde se convocam poderosos espíritos ,( espíritos terrenais, ou espíritos dos mortos), para com eles formalizar pedidos, tal como já era feito no antigo Egipto e nos círculos místicos das culturas hebraicas.

 

Missa Negra é um ritual de magia negra que se fundamenta na inversao dos metodos espirituais usados pelos rituais de magia branca celebrados nos templos cristaos, ( Igrejas), nos templos Hebraicos, ( Sinagogas), etc.

 

Na verdade, de cada vez que é realizada uma missa numa igreja, estão-se usando orações, velas brancas, incensos, liturgias e todo um conjunto de procedimentos que visam invocar o espírito de Deus, assim como conjurar ou anjos, ou santos, etc. Tudo isso é na verdade um ritual de magia branca.

 

Os Bruxos e Bruxas, trabalham através da inversão dos processos espirituais usados nos rituais de missa branca, para assim invocar espiritos poderosos e ancestrais.

 

A missa Negra é por isso um ritual de inversão da missa branca, e é o mais poderoso ritual de magia negra existente á face deste mundo

 

Se pela abstinência, pela oração, pela meditação e pela castidade se pretende invocar espíritos por meio das missas brancas; então pela acto, pela carnalidade e pelo sangue se invocam igualmente poderosos espíritos atraves de um meio oposto.

 

Os textos sagrados revelam em diversos textos a existência de «deuses» ou «seres celestiais» (Salmos 81,1-6; 86,8; 95,3; Génesis 3,5; 3,22; 11,6-7).Pois a magia realizada através dos cultos carnais e de sangue, tem por objectivo a invocação desses espiritos, atraves dos mais fortes meios esotéricos.

 

Tambem se podem por estes meios, estender convites aos espíritos dos mortos que habitam no «reino dos mortos»(Sabedoria 16,13), ou seja, o local onde residem as almas daqueles que já partiram deste mundo fisico.

 

Nestes rituais de Missas Negras, são por isso, conforme o caso, invocados espíritos da noite, espíritos ancestrais, espíritos de mortos e espíritos terrenais poderosos.

 

Apenas os Bruxos e Bruxas, com os seus conhecimentos místicos e com a sua força espiritual, possuem as chaves para proceder ás invocações que fazem tais espíritos entrar no nosso mundo físico.

 

Nesses rituais são realizadas libações, são efectuadas oblações, é consumada a oferenda e feitas invocações rituais secretas.

 

O Sangue, o álcool, os fluidos corporais , as energias emanadas de actos carnais, os incensos secretos, são substancias que agradam aos espíritos terrenais.

 

Como espíritos terrenais que são, ( assim como alguns dos espíritos de mortos, bem como de certo tipo de anjos caidos), são espíritos demasiadamente presos ao mundo terreno e ás essências carnais, pelo que as oferendas carnais são-lhes agradáveis, e quando conjugadas com procedimentos esotéricos adequados, são um chamamento irresistível a todo esse tipo de espíritos.

 

Assim invocados e atraídos, os espíritos entram neste mundo e encarnam na sacerdotisa que participa nas cerimonias, e que ali oferece e abre o seu corpo ás entidades.

 

Apenas um sacerdote masculino com os adequados conhecimentos místicos e a força espiritual de um bruxo, tem o poder para gerir a invocação destes poderosos espíritos, mas apenas uma poderosa sacerdotisa com o poder espiritual de uma bruxa tem a capacidade para se deixar penetrar, receber e orientar o espírito invocado. Uma mulher que nao fosse bruxa, enlouqueceria com a violencia que é a entrada de um espirito ancestral no seu corpo, e um homem que nao fosse bruxo, nao sobreviveria á presença de forças espiituais tao poderosas perto de si, que seguramente devorariam a sua mente até á morte.

 

Este tipo de acto, realizado por pessoas inexperientes, pode levar á loucura, ou fins trágicos, pelo que não deve de ser executado por amadores. Vários curiosos já o tentaram, e acabaram sentindo as terríveis consequências das suas «brincadeiras».

 

O serviço é então, encomendado, o pacto é selado com actos carnais que alimentam os espiritos, o trabalho estará outorgado.

 

Nas noites seguintes, pós místicos e essências esotéricas serão produzidas, e o trabalho será despachado pela mão de quem encomendou o trabalho. E assim sucedendo, os espíritos cumprirão com o serviço que lhe foi encomendado, fazendo realizar os fins solicitados.

 

SUCESSOS RECONHECIDOS DA MAGIA NEGRA NA HISTORIA

 

A Magia Negra ocorre de cada vez que um bruxo ou bruxa invoca um poderoso espírito ,(ou terrenal, ou de mortos, etc), para comunicar com ele e faze-lo produzir um determinado efeito. 

A magia negra, ( invocação e contacto com poderosos espíritos ), pode ser usada para todos os tipos de efeitos com grande sucesso. 

Um dos casos de sucesso mais conhecidos da historia ocidental ocorreu em 1680, quando Athenais Charente, Marquesa de Montspan encomendou ao Abade Guibourg diversos trabalhos da magia negra com o objectivo de se tornar a única mulher a partilhar a cama do rei Luís XIV.

 

A condensa conseguiu os seus desejos, passou a ser a unica mulher a partilhar o leito do rei e deu-lhe 7 filhos. O sucesso dos trabalhos do Abade foi esmagador, e a fama deste feito espalhou-se por todo o mundo.

 

A missa negra popularizou-se assim no sec XVII, com as famosas missas do abade Guibourg.

Com elas o abade concedeu favores pagos a peso de ouro a quem o procurou.

 

Ao longo dos tempos, muitas pessoas famosas ou de elevada condição social recorreram á poderosa magia negra que provém das missas negras, como por exemplo:

 

No Sec XVI, Catarina de Medici, rainha de França, participou numa Missa Negra.

No Sec XVIII, Donatien Alphonse François, executou e participou em missa negra.

 

Tal como foram marcantes os exemplos de pessoas famosas que realizaram missas negras, também se afirma que outras diversas personalidades ao longo da história realizaram celebrações demoníacas para fins de celebração de um pacto com o diabo.

 

Alguns exemplos históricos desse tipo de pacto , assim como do poder que dele derivou para quem os celebrou, são: 

O ocultista Cornelius Agripa 

Paracelso 

Papa Leão o Grande 

Papa Honorius 

Papa Silvestre III 

Rei Henrique III

 

SOBRE AS MISSAS «NEGRAS» OU CARNAIS

NA HISTORIA BIBLICA

 

A existência e celebração de rituais ou missas ocultas já remonta aos templos bíblicos, na antiguidade hebraica e pré-hebraica. Tais rituais onde se realizam «mistérios ocultos» em «banquetes orgiásticos com rituais estranhos», são referidos no livro da Sabedoria – (14, 23) Tal como esta ali escrito, tais rituais eram praticados com a intenção de «amarrar» pessoas e assim interferir com casamentos, ou de favorecer relações extra conjugais, ou simplesmente se alcançarem fins sexuais, ou ate mesmo para se amaldiçoar pessoas, (Sabedoria  14, 26).

 

Também tal como ali esta descrito, tais rituais eram praticados de forma a invocar estes fins através do «delírio» (Sabedoria 14, 28) e da «profetização». Entende-se por «profetizar» o acto de comunicar com espíritos, um processo através do qual um espírito entra num profeta e através dele realiza certas revelações, ou manifesta a sua vontade de fazer cumprir certos actos neste mundo. Claro que o «profeta» pode também pedir ao espírito com quem comunica, que actue de certa forma neste mundo, assim causando certo tipo de acontecimentos. Assim, pelo diálogo com os espíritos e através dos seus pedidos ao espírito, o profeta pode lançar bênçãos ou maldições que ajudem ou prejudiquem pessoas. Assim, está-se neste livro sagrado da Sabedoria, revelando que os bruxos por todos estes processos, invocavam forças espirituais com a finalidade de causar certo tipo de fins neste mundo. Os que realizavam tais cultos, eram os «adivinhos» e os «feiticeiros», (Isaías 2,6) sendo que os primeiros o faziam com a função de produzir oráculos sobre o futuro a quem os procurava, e que os segundos o faziam com a finalidade de fazer acontecer certos eventos que satisfizessem os desejos de quem lhes encomendava serviços espirituais.

 

Mas os rituais análogos aos de missa negra, ( rituais de invocação carnal de deuses e espíritos); estão igualmente descritos noutros livros sagrados, nomeadamente no II Livro dos reis.

 

Ali se referem as «prostituições» de Jezabel, assim como «as suas inúmeras magias» (II Reis 9, 22) Convêm aqui explicar que Jezabel era adoradora do culto de Baal, assim como frequentadora de outros cultos e templos de deuses da antiguidade.

 

Ate mesmo Salomão frequentou tais templos e contribuiu financeiramente para os manter.(I Reis 11, 4-8).

 

Nesses cultos, praticavam-se ritos de natureza carnal ou sexual para satisfazer os deuses, pois se acreditava que se a carne e sangue dos animais podia servir de oferenda aos deuses, também o corpo era instrumento de oferenda agradável aos deuses.

A tais celebrações religiosas os hebreus denominaram «prostituição sagrada», ( I Reis 14,23), pois entendiam que o acto de adoração a outros deuses era uma «prostituição», ao mesmo tempo que se tratavam de praticas carnais impuras.

 

No entanto, tais práticas religiosas chegaram a ser praticadas dentro do próprio Templo sagrado dos hebreus (II Reis 23,6-7), que consideravam que a deusa Aserá era a consorte de Deus, até que uma reforma religiosa encetada pelo sacerdote Helcias e o Rei Josias decretou a ilicitude de tal crença .

 

Tais cultos eram exclusivamente praticados por sacerdotisas, que eram «hierodulos», ou seja, sacerdotizas que eram «escravas femininas» de um certo deus.

 

Os hebraicos denominavam tais sacerdotisas de «qedeshoth», e era através delas que se procediam ás mais poderosas invocações espirituais.

 

O culto de Astarte era levado a cabo por sacerdotisas.

Quando se tratavam de sacerdotisas femininas chamavam-se-lhes «Qedeshoth», sendo que quando se tratavam de sacerdotisas masculinos chamavam-se-lhes «Qedeshim». (Deuteronómio 23, 18)

Eram estas sacerdotisas que nos templos realizavam Oráculos, tratavam da vida religiosa do santuário, assim como praticavam rituais de natureza sexual através dos quais invocavam a Deusa e lhe prestavam culto.

As sacerdotisas (masculinas ou femininas), eram escravas da Deusa, sacerdotisas sagradas do Templo da divindade feminina Astarte. 

 

As praticas de celebração de ritos de natureza carnal eram assim realizadas por estas sacerdotisas, (femininas ou masculinos), e correspondiam a um ritual de chamamento e invocação de deuses e espíritos pelos mesmos meios que aqueles que agora são usados nas «missas carnais», que hoje em dia são classificadas de «negras» e de heréticas, mas que no passado foram realizadas em templos e de acordo com os melhores saberes religiosos.

 

 

 

Por outro lado, as missas de natureza carnal obedecem aos mesmos princípios de invocação de espíritos que estão descritos nos textos sagrados, ao facultar um meio de comunhão com poderosos espíritos por via da oferenda da essências que lhes são agradáveis.

Senão vejamos, pois assim Deus disse a Moises:

 

 

« Diz aos filhos de Israel que me ofereçam um tributo; aceitareis a oferta de todos os que generosamente a ofereceram»

 

 

Êxodo 25, 1

 

 

Assim fica revelado que o espírito de deus pede que lhe sejam prestados tributos.

Sendo que deus é espírito, ( Jo 4,24) ficamos sabendo que os espíritos mais poderosos pedem adoração, oferendas e tributo pela sua protecção, pela sua bênção.

 

Pois para executar a missa negra, ( um culto carnal, tal como ele era realizado nos tempos pré-hebraicos e hebraicos), é solicitado um tributo que é gasto na celebração e invocação dos mais poderosos espíritos.

 

O tributo é assim usado para produzir ou obter essências que são agradáveis aos mais poderosos espíritos, e uma das essências mais agradáveis aos espíritos poderosos, está descrita nos textos sagrados.

Pois assim se lê:

 

 

Por fim, imolou o touro e o cordeiro(…) Os filhos de Aarão levaram-lhe o sangue,

que ele derramou por todos os lados do altar

 

 

Levítico  9,18

 

 

O sangue é a vida de todo o ser vivo

 

 

Levítico  17, 14

 

 

Vou pedir contas do sangue, que é a vossa vida

 

 

Génesis  9, 5

 

 

 

 

 

Assim está revelado nos textos sagrados que no sangue reside a vida do corpo, e ao oferecer aos espíritos o sangue, esta-se-lhes oferendando uma essência que lhes é agradável e na qual reside vida do corpo.

 

«O sangue é a vida», conforme esta escrito, (Deuteronómio XII, 23), e em troca da vida do corpo físico, os espíritos facultam a protecção do espírito, da alma e a prosperidade da vida de quem com eles comunga por via dessa essência sagrada. È uma forma de comunhão com os espíritos que lhe é agradável. Por isso mesmo, assim esta escrito:

 

 

O sangue é a vida da carne,

e esse sangue eu vo-lo dou para fazerdes o rito (….) sobre o altar, pela vossa vida;

pois é o sangue que faz a expiação(…)

 

 

Levítico  17,11

 

 

 

 

Esta assim revelado neste livro sagrado, que pelo sangue consegue-se a obtenção o perdão de Deus, pois pelo sangue limpam-se os pecados e assim entra-se nas graças e bênçãos de deus.

 

O sangue é por isso «expiatório», e é também por isso uma forma de aplacar a cólera de deus.

 

Deus declara ter destinado o sangue a esse fim expiatório, e ao faze-lo, revela que o sangue possui um sentido altamente invocatório e apaziguador junto dos espíritos mais poderosos, que por esse meio concedem renovadas bênçãos a quem lhes dirige a preces e devoções.

 

Por isso, é instruído por Deus que o sangue seja usado em diversos rituais litúrgicos:

 

Derramarão o sangue por todos os lados do altar

 

 

Levítico 2,13

 

O sacerdote molhará o dedo no sangue da vitima, e ungirá os cantos do altar (….)

depois derramará todo o sangue na base do altar

 

 

Levítico 4,30

 

Molhará o dedo no sague e fará 7 aspersões na frente do véu, diante de Deus

 

 

Levítico  4, 17

 

 

 

Assim é tambem revelado que o sangue foi indicado por Deus como uma das mais fortes essências que se pode oferendar sobre um altar e que, exerce um poder invocatório inestimável ao seu espírito.

 

E sendo que conforme se pode ler no evangelho de João: «Deus é espírito» – assim fica revelado que os poderosos espíritos encontram no sangue um motivo de invocação irresistível.

 

Cabe ao sacerdote facultar aos espíritos o seu alimento, ou seja, oferendar-lhes as essências que lhes são agradáveis e por via das se concretiza a comunhão entre espíritos e humanos. Pois assim esta escrito:

 

(…)o sacerdote (…) é o encarregado de oferecer o alimento a deus

 

 

Levítico 8

 

 

 

Sabemos por tudo isto que «sacerdote» é por isso aquele que oferece alimento aos espíritos, e os espíritos mais poderosos tem um alimento que lhes é agradável, que é a própria essência física onde reside a vida. E oferendar vida aos espíritos, é garantir que eles facultarão vida a quem os procurou.

 

Nos rituais de natureza carnal, os sacerdotes usam de irresistíveis alimentos aos espíritos, de forma a invoca-los de forma incontornável. Usam-se para isso fortíssimos meios de invocação espiritual de poderosos espíritos, seja pelos rituais de carnalidade, seja pela oferenda de sangue e outras essências que são agradáveis ás entidades. Todo esse saber místico, encontra-se inscrito nos textos sagrados.

 

Tanto Salomão como Jezebel assistiram á existência destes cultos, e verificaram o poder que as suas praticas podiam facultar a quem as sabia exercer e delas usufruir. Salomão verificou assim o poder de outros deuses.( I Reis 11,4-8)

 

Salomão praticou ele mesmo tais rituais, oferencendo sacrificios, sangue e incensos em templos devotos a espiritos.

 

 

 

 

Salomão (…)seguia os preceitos de seu pai David.

Entretanto, oferecia sacrifícios e incensos nos lugares altos

 

 

II Reis 3,3

 

 

 

 

Salomao praticou magia invocatoria de espiritos nos templos dedicados a tais praticas, que pelos hebraicos eram chamados de «lugares altos».

 

Dessas praticas magicas, e da ancestral sabedoria,( conforme esta descrito no II Livro de Cronicas), Salomão obteve poder para se transformar num rei de riquezas imensas, como jamais outro existiu.

 

Outros reis hebraicos, tambem praticaram culto aos espiritos, frequentando templos e estabelecendo necromantes e magos.

 

Manassés(…) construiu lugares altos em honra de todo o exercito dos ceus (….) praticou adivinhação e magia (….)

 

 

II Crónicas  33,1-6

 

 

 

 A missa negra, inspira-se nestes saberes ancestrais que Hebreus, Egípcios e Gregos já tiveram nas suas mãos, e que ao longo dos tempos foi perseguido e tornado secreto, apenas disponível a certas ordens religiosas e a determinados

 

Muitos crêem que a missa negra passa pela ofensa a símbolos religiosos cristãos, e isso sucede porque hoje em dia se perderam os verdadeiros saberes que inspiravam este tipo de celebração religiosa, e se transformou este tipo de ritual numa espécie de satisfação das fantasias de pessoas religiosamente pouco esclarecidas e longe das verdades espirituais.

 

As missas chamadas de «negras» não se destinam a profanar a religião dos outros, mas são antes um instrumento religioso por si mesmo, de uma pratica religiosa que remota aos tempos pré-hebraicos.

 

De acordo com as mais ancestrais tradições pré-hebraicas, as missas chamadas «negras», são apenas e na verdade a perpetuação de cultos de invocação de espíritos através de ritos fundamentados na carnalidade. São poderosíssimos meios de magia para invocar espíritos terrenais, ou mesmo anjos caídos.

 

As missas são chamadas de «negras», não porque se destinam a profanar as missas «brancas», ( aquelas praticadas pelos padres), mas antes porque fazem uso de um processo de invocação espiritual oposto ao que é usado pelos padres. Os padres usam processos meramente espirituais para invocar o espírito de Deus, ou seja: velas brancas, incensos, uma certa liturgia e o poder da oração. Trata-se por isso de um culto fundamentado na oração, na meditação, na abstinência, na palavra.

 

O culto inverso, é um culto baseado não na palavra mas no acto; não na abstinência mas na carnalidade; não na mera oração mas na pratica; não na mera contemplação mas no êxtase. Trata-se de um tipo de celebração que se baseia no exercício de um método espiritual oposto ao praticado nas missas brancas, ( que não pretende ofender em nada a missa branca, apenas propõem uma forma oposta de invocar espíritos), e que se propõem fazer o chamamento de poderosas entidades espirituais por um caminho igualmente mais forte e poderoso, tão forte e poderoso que foi banido da religiosa pratica comum.

Aside | This entry was posted in Uncategorized. Bookmark the permalink.

Leave a Reply

Fill in your details below or click an icon to log in:

WordPress.com Logo

You are commenting using your WordPress.com account. Log Out / Change )

Twitter picture

You are commenting using your Twitter account. Log Out / Change )

Facebook photo

You are commenting using your Facebook account. Log Out / Change )

Google+ photo

You are commenting using your Google+ account. Log Out / Change )

Connecting to %s